h1

Boaventura Sousa Santos e a sua concepção multicultural dos direitos humanos

Maio 30, 2008

O texto do Boaventura ajudou-me a perceber algumas questões que não tinham ficado muito esclarecidas em anteriores discussões, sobretudo em relação a Abu-Lughod e a sua critica ao relativismo cultural.

Agora percebo o que ela quer dizer em Do Muslin Women really need saving? Parece, assim, que a minha intervenção na aula foi defeituosa mas só assim aprendemos..

Neste mundo globalizado em que vivemos o grande debate entre universalismo e relativismo, de outrota, talvez deixe assim de fazer verdadeiro sentido…

” cultural relativism marks a major stage in the reduction of the Other to the same. All differences are preserved and denied at the same time”, segundo Paul Rabinow em Washburn, página 939

Bons estudos,

Maria Joao Nunes

About these ads

4 comentários

  1. O texto de Ericksen trata de uma discussão sobre politicas ligadas ao multiculturalismo nas ilhas Maurícias, onde se reconhece a existência de várias culturas dentro de um único sistema político. Deste modo, o multiculturalismo pode entrar em conflito com valores universais, principalmente aqueles ligados aos direitos humanos associados à igualdade de participação nas instituições da sociedade.

    Ericksen mostra-nos algumas contradições existentes nas sociedades multiculturais como o facto de, por um lado, todos os membros de uma democracia liberal têm os mesmos direitos e oportunidades e, por outro lado, também têm o direito da diferença para manter e promover a sua especificidade cultural.

    Acho que este texto de Erickson dá-nos uma visão sobre as práticas multiculturais, variações culturais como um desafio político e também no relativismo cultural como uma perspectiva em mudança.


  2. Parece-me que essa citação do Paul Rabinow é de guardar…para nos lembrar que não se deve deitar fora o bé bé coma água do banhos (do relativismo cultural…)
    MCS


  3. O artigo do Boaventura Sousa Santos é realmente muito claro a propósito das tensões que atravessam actualmente os Direitos Humanos e da possibilidade de os transformar numa política “progressista e emancipatória”. Surpreendeu-me especialmente a proposta da busca de uma plataforma de entendimento máxima, recorrendo à Hermenêutica Diatópica, entre culturas – é arrojado, faz sentido, e se calhar deve tanto à utopia e/ou boa vontade quanto o jogar pelos mínimos das necessidades humanas básicas. Longe de me parecer uma proposta “megalómana”, vi nela um pragmatismo muito elegante: é que a seguir este diálogo intercultural, consciente das incompletudes da cultura e orientado para o entendimento, todos saem a ganhar, fugindo-se aos moldes da hegemonia ocidental sobre as questões dos Direitos Humanos. Mas aí pergunto-me se será mesmo possível diminuir o número de “egos feridos”; é que, por enquanto, o acordo global em torno de uns Direitos Humanos continua a ser uma iniciativa principalmente ocidental! Esta é uma assimetria de base que tem repercussões em todos os diálogos interculturais que possam existir, por mais humildes ou conscientes que sejam as abordagens iniciais! (Não?!)


  4. (Sim!) o ponto fraco do texto é precisamente esse, acho. Partindo da premissa (correcta) de que o debate sobre o universalismo e o relativismo cultural é “intrinsecamente falso”, as propostas que o autor faz para superar este debate, numa perspectiva “contra/contra” (contra o universalismo – diálogos interculturais que preservam os valores de cada cultura – e contra o relativismo – critérios políticos que permitam distinguir o que são factores emancipatórios dos que não o são) são tipo “pescadinha de rabo na boca” e devolvem o problema à sua origem. As assimetrias continuam a ser o contexto onde os diálogos e os critérios políticos se desenvolvem…



Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 78 outros seguidores

%d bloggers like this: