h1

Maus casos, bons para pensar

Maio 23, 2008

A aula da Alice Frade, mais uma vez nos trouxe para a academia experiência e  advocay, ao lado de antropologia. A visão da evolução política dos «direitos reprodutivos» dentro e fora de Portugal alargou-nos o horizonte de análise. Obrigada, Alice!

Tal como em relação ao «tráfego de pessoas» de que nos falara Filipa Alvim, levantou-se aqui a questão relativamente à MGF (uma sigla, uma despersonalização, um diagnóstico…) em Portugal: «do women really need saving?». É preciso ousar colocar esta questão, sem qualquer agenda; porque não se pode ter agenda sem encontrar uma resposta para ela. Para isso, a etnografia é precisa: onde andam os antropólogos?

“Erradicação da MGF” é  terminologia internacional herdada a epidemologia. Isto também nos faz lembrar o «sindroma de Ulisses». Os «males» da cultura, são doença…há que “erradicá-los” ou “medicalizá-los”.

MCS

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: