h1

O programa…

Setembro 30, 2009

…de 2009/10 já está on-line, mas à espera das vossas sugestões. Podem comentar aqui.

Entretanto, por favor, releiam a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Até amanhã!

4 comentários

  1. nem sei por onde começar….
    hm….
    vamos começar por uma constataçao do Freud que diz que ha «tres fontes de que o nosso sofrimento provem»(…)uma das quis é (…)«a ibadequaçao das regras que procuram ajustar os relacionamentos mutuos dos seres humanos na familia,no estado e na sociedae.» Freud chama a isso «a fonte social de sofrimento»e afirma :«Nao a admitimos de modo algum,nao podemos preber por que os regulamentos estabelecidos por nos mesmo nao representam, ao contrario, proteçao e benificio para cada um de nos.» tambem afirma que «a palavra civilizaçao descreve a soma integral das realizaçoes e regulamentos que distinguem nossa vidas das de nossos antepassados animais, e que servem a dois intuitos, a saber : o de proteger os homens contra a natureza e o de AJUSTAR os seus relacionamentos mutuos.» (O Mal-estar na civilizaçao)

    eu veijo esta “invençao” que é DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS, que surgiu em 1948, depois da segunda guerra mundial durante qual aconteceu muita coisa que supostamente os humanos civilizados e racionais ja no sec. XX nao deviam fazer uns aos outros ,como uma tentativa: de ajustar estes tais relacionamentos mutuos; de prevençao do sofrimento.
    (tapar o que nos incomoda,de maneira a conseguir-mos viver enqunto uma civilizaçao)

    A declaraçao apela a muitas coisas boas: como igualdade, liberade, paz no mundo etc… mas se houve tal necessidade de crair e defender a DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS é porque havia e ha algu de “errado” com a nossa civilizaçao.
    Acho,sem tirar o merito, que com uma simples declaraçao as coisas vao ser muito dificil de mudar.


  2. Concordo inteiramente com as ideias apresentadas pelo colega Roman Beiu.
    A Declaração Universal do Direitos Humanos é para mim, um descargo de consciência por parte dos cidadãos dos países representativos do modelo dito ideal de sociedade,a democracia. Os mesmos que se dizem herdeiros dos valores da Revolução Francesa: Igualdade, fraternidade e liberdade.
    O que fica muito bem num documento, mas que choca com uma realidade que não é assim, nem será pelo modo como o mundo se apresenta hoje aos nossos olhos.
    Um Documento que é assinado e promovido pelos mesmos(ir)responsáveis que assistem apáticos a tantas situações desumanas não só nos outros países, ditos de costumes bárbaros, mas também nos seus; não me transmite a mim qualquer conforto.
    Não somos livres, não somos todos irmãos, nem queremos ser iguais uns aos outros. Homo homini lupus.*
    Essa é a crua realidade para que todos nós deviamos abrir os olhos, se queremos ter uma parte activa nesta sociedade. Tanto no nosso trabalho académico, como na nossa vida pessoal.

    *O homem é o lobo do homem.”
    Plauto (254-184)


  3. hell is empty and all the devils are here
    william shakespeare


  4. Sera que Sarkozy pós em causa a máxima Liberté, Egalité, Fraternité e a Declaração Universal dos Direitos Humanos (artigo2)com as suas recentes acções e atitudes? hm…….



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: