h1

Direitos Humanos e diplomacia : tensões entre a Suécia e a Arábia Saudita

Abril 1, 2015

Nas últimas semanas têm-se debatido bastante as tensões diplomáticas entre a Suécia e a Arábia Saudita. A ministra sueca Margot Wallstrom criticou publicamente a Arábia Saudita por violações dos direitos humanos. Criticou a condenação do blogger Raif Badawi (condenado a 10 anos de prisão e chicotadas) e as violações dos direitos das mulheres.

A Arábia Saudita não permitiu que Margot Wallstrom, que é conhecida pela sua defesa de uma “política internacional feminista”, discursasse em Março num evento da Liga Árabe, retirou o seu embaixador da Suécia e declarou que ia deixar de conceder vistos de trabalho a cidadãos suecos.

Entre os vários artigos que se podem encontrar sobre as tensões entre os dois países achei este particularmente interessante.

http://www.washingtonpost.com/blogs/worldviews/wp/2015/03/24/how-saudi-arabia-turned-swedens-human-rights-criticisms-into-an-attack-on-islam/

Chama a atenção para a retórica usada pela Arábia Saudita para tornar as criticas às violações dos direitos humanos em criticas ao Islão, e assim a acusar a Suécia de atacar o Islão, questionando também a autoridade da Suécia para fazer juízos morais e interferir com a política saudita.

“Saudi Arabia has succeeded in making the argument not about human rights, but about Islam. From the start of the disagreement with Sweden, Saudi officials have emphasized that the attack isn’t just on their sovereignty, but on the entire concept of sharia law, which forms the basis of the Saudi legal system… Saudi Arabia’s highest religious authority dismissed Wallstrom’s comments as criticism of the Islamic legal system.”

“The Organization of Islamic Cooperation also released a statement, saying Sweden needed to “not claim moral authority to pass one-sided judgments and moral categorizations of others.”

Um artigo publicado no site Arab News:  http://www.arabnews.com/saudi-arabia/news/721226  as declarações de Margot Wallstrom são criticadas como ataques ao Islão, e é criticada a interferência da Suécia nos assuntos internos sauditas e na sua soberania nacional.

A Amnistia Internacional e outras organizações de defesa dos direitos humanos organizaram várias campanhas e petições para defender Raif Badawi, condenado a 1000 chicotadas e 10 anos de prisão pelo seu blogue “Free Saudi Liberals” que criticava o governo saudita e defendia o secularismo e ideias liberais.

(Marta Vidal)

One comment

  1. Um óptimo apanhado de uma situação que se repete mas que é paradigmática: ‘cultural relativism strikes back’, na sua pior forma – a que o toma como justificação para não cumprir os direitos humanos



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: